A Ciência do Design de Cardápio

Quais elementos constituem um cardápio bem feito? E, mais importante, por que isso importa?

Por: Alexandre
 

O que te deixa com fome, com água na boca só de pensar ou ver? Nossa percepção sensorial é complexa. Quando o assunto é comida, não é só o paladar que conta. Nossa visão também tem um papel importante. Food Porn nunca foi tão popular, certo? E quando se trabalha no ramo de alimentação, entender isso é essencial. Afinal, em um cardápio, buscamos atiçar os sentidos na hora da escolha do prato.

Vamos admitir sem limão. Há muitos cardápios vazios, cheios, sem cores, com muitas cores – e isso prejudica os negócios. De fato, um cardápio sem vida não funciona, diferente de um cardápio bem feito. Um cardápio bem feito gera interesse seguindo um tema, usando cores, textos e imagens a seu favor, tendo personalidade e incorporando as características da marca. Branding. Há também um padrão de leitura de cardápios, que consiste da leitura de cima para baixo, da esquerda para a direita. Os cantos superiores esquerdo e direito são chaves porque é para onde nossa atenção vai. Interessante, certo? Sabe o que mais conta muito em um cardápio?

Descrições

As descrições dos produtos devem despertar vontade e dar água na boca, por isso devem vir cheias de adjetivos e palavras provocantes. Se tem sabor e aroma, se tem crocância e tempero, se é derretido e cremoso… Detalhes são importantes. Dê um nome específico a alguns pratos, cite a origem geográfica dos ingredientes e use marcas renomadas a seu favor. Se em seu burger vai Heinz, coloque isso no cardápio. Marcas renomadas sugerem que seu restaurante usa ingredientes de qualidade. E o que você acha de um bolo de chocolate belga, com morangos frescos e chantilly cremoso, típico de Côte de La Redoute? Interessante e sedutor, certo?

Design

Bom design chama a atenção. No design de cardápios, isso não é diferente. Elementos gráficos como caixas, ícones e letras em negrito realçam, assim como o uso do espaço negativo. Imagens, quando usadas em moderação, aumentam significativamente as vendas de certos produtos. E o bom uso de cores predominantes e cores de base traz harmonia. Aqui, deve-se trabalhar com base na paleta de cores da marca. Enquanto costuma-se evitar cores frias, as cores quentes, como vermelho e amarelo, estão associadas a emoções. Elas são cores que estimulam o apetite. O azul, por outro lado, é considerado um supressor de apetite segundo pesquisas. Regimes de dieta, por exemplo, sugerem o uso de pratos azuis. Embora a psicologia da cor seja polêmica e não conclusiva, há, pelo menos, um consenso básico. Uma página de carnes, por exemplo, vai bem com vermelho e preto ou azul e branco?

Conclusão

No fim das contas, o que os profissionais da área de restaurantes e de marketing buscam com isso tudo é a persuasão – que mostrou, através de estudos e pesquisas, ser incrivelmente eficaz. Em um estudo, pesquisadores descobriram que as vendas de itens com descrições foram 27% maior que itens sem descrições. “O uso de designers e consultores de cardápios está explodindo na arena de restaurantes e redes nacionais… Em resposta disso, eles estão se aprofundando em um crescente volume de pesquisas sobre a ciência dos preços e da escrita de cardápios, esperando que o caminho para o coração do freguês não seja apenas através do estômago, mas através do inconsciente,” diz Sarah Kershaw.

E aí? Interessado em montar o seu? A elaboração de um cardápio é um trabalho em conjunto, com comunicação, alterações e aperfeiçoamento entre a equipe de marketing e o restaurante. Além disso, é fascinante porque ambos os lados usam a criatividade para criar algo único, belo, persuasivo e representativo. Entre em contato com a gente para criar ou refinar seu cardápio agora.